Arquivo da categoria: custos

Jovens apos terremoto aprendem a construir casas em tijolo ecologico pelo YouTube e Google

Tres jovens p rocuravam por emprego apos completar o MBA e agora se tornaram empresarios baseados no aprendizados do terremoto de 2015. Enquanto voluntariavam para ajudar os sobreviventes do terremoto, eles chegaram a conclusao que havia escassez de tijolos pra reconstruir as casas.Eles pensaram numa alternativa para o tijolo tradicional. Por um lado, houve uma enorme demanda de tijolo e, por outro, muitos fornos de tijolos foram destruídos pelo terremoto. Eles começaram a pesquisar no Google e YouTube em busca de uma alternativa para o 

tijolo.Nishan Chandi Shrestha with his friends Sachit Pandit and Subhash Shrestha, com a ajuda de um engenhei

 

ro mecanico Vivek Adhikari chegaram a conclusao que tijolo encaixados de terra seriam a melhor opcao. . “Descobrimos que esta tecnologia tem sido usada para construir edifícios no sudeste da Ásia depois do tsunami”, Nishan disse: “Fomos encorajados depois de saber que os engenheiros n

epaleses tinha usado esta tecnologia no Instituto Asiático de Tecnologia, Tailândia.”Então eles pensaram de produzir tais blocos de terra ou tijolo ecologico. Eles levantaram uma verba de cada mem

 

bro e tomaramde empréstimo a partir de diferentes empresas de financiamento para atender sua exigência de capital. Eles compraram a máquina p

ra fazer os tijolos ecologicos. Mas a máquina permaneceu no porto em Kolkata durante três meses devido ao bloqueio indiano no final de 2015. Depois de pagar Rs 400.000 eles foram capazes de trazer a máquina para o país. Em seguida, eles foram confrontados com uma outra questão – não poderia dar ao luxo d

e manter

os trabalhadores para executar a máqu

ina.”Não podíamos dar ao luxo de pagar o custo dos trabalhadores, portanto, fizeram um mutirao dos 4 e  trabalharam dia e noite.  Inicialmente, era difícil

dar uma forma ex

ata para o tijolo. Os tijolos ecologico eram feitos usando lama, areia e cimento não poderia passar o teste de laboratório. “”Nós não foram treinados e tinha começado a nossa empresa depois de pesquisar alguns vídeos no YouTube”, disse ele. Em seguida, eles fizeram alguns Google pesquisar para encontrar emp

resas que deram formação para este negócio. “”Nós encontramos duas empresas, uma empresa americana du

pla da Terra e outra empresa indiana, Auroville Instituto Terra”, ele acrescentou: “A empresa norte-americana era caro e não podíamos que a empresa indiana iria cobrar Rs 60.000 por cabeça por um 15-. dia de treinamento. Então eu fui lá e completou o treinamento prático de 15 dias. Eu fiquei no albergue de um amigo para poupar dinheiro “. Durante o treinamento, Nishan perceberam o erro de selecionar lama inapropriada para tijolo. Ao voltar para casa, ele trabalhou com a equipe para corrigir o  erro. Eles foram a muitos lugares que procuram o tipo certo de lama. Agora eles trazem lama de áreas C

hapagaun, Sankhu e Melamchi, que está ajudando-os a produzir tijolos de boa qualidade. Eles estão trabalhando duro para aumentar a produção como o seu tijolo pra fornecer mercado e a demanda está aumentando “.”As pessoas ainda estão usando tijolos tradicionais, mas temos muitos clientes que procuram os nossos tijolos ecologicos. Eles perceberam a sua qualidade”, disse Nishan expressando sua satisfação em relacao a seu esforço. “Com o aumento da demanda, os nossos clientes têm de fazer as suas encomen

das pelo menos um mês de antecedência.”A equipe recebe seus tijolos testados em laboratorio de material para testes da força de compressão.”Governo eixge que o tijolo resista ao minimo d

e 3 Mega Pascal (MPa) os tijolos tem  6.82 MPa que pelas dimensoes dao garatia de uma maior qualidade,” Nishan disse. Esses tijolos são amigos do ambiente, Nishan acrescentou. No começo eles pensaram em produzir 500 tijolos por dia. Mas agora sua capacidade aumentou quatro vezes.Com a crescente demanda, eles estão planejando expandir seus negócios através da importação de mais máquinas. A equipe agora empregou seis pessoas para ajudá-los em sua pequena fábrica. Inici

almente, eles tiveram que enfrentar uma espera de quase um ano e meio. Mesmo os bancos não confiavam neles para o empréstimo “ Depois de variass tentativasa os bancos emprestaram, quando terminamos os estudos e projetos. Agora estamos treinando outras pessoas interessadas, Na falta de eletricidade apos o terremoto tivemos que suar maquinas manuais para a producao dos tijolos ecologicos”

Source: Meus Republica – jovens empresários aprender a tecnologia tijolo do YouTube, Google

Anúncios

Parcerias entre o público e o privado são receita de sucesso no urbanismo!

Adoção do Mirante Santa Terezinha, no bairro do Farol. O mirante foi totalmente revitalizado pelo programa de adoção de áreas públicas, o projeto é da Prefeitura de Maceió e é realizado por intermédio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável (Semds). A adoção de espaços públicos é formado através de convênios entre empresas da iniciativa privada e a Prefeitura.

De encontro com essa ideia Emilson C D Silva publicou um artigo cientifico do Movimento Cidade Bonita explicando a  lógica econômica por trás do movimento, encontramos o pensamento que uma bela cidade deveria aumenta a satisfação de seus moradores , portanto, o aumento dos valores dos imoveis, bem como expande os negócios da cidade, com aumento das vendas  de bens e serviços da cidade para os clientes locais e  turistas. Como exemplo disso foi a construcao do Parque Millenium , uma parceria entre o publico e privado. que valorizou em 10 mil dolares o m2 dos imoveis na regiao.

“Maceió está ganhando mais um ponto turístico, com uma nova iluminação em LED e que virou uma obra de arte através do projeto da Ana Maia e da Rosa Piatti, duas designers que levam o nome de Maceió e de Alagoas para o Brasil inteiro e alguns países com suas obras de arte. Quem vier ao Mirante Santa Terezinha irá deslumbrar de uma bela vista e de uma belíssima obra de arte”, destacou o prefeito Rui Palmeira.

O titular da Semds, Gustavo Acioli, comentou a importância de parcerias na adoção de espaços públicos. “Essa é a primeira adoção de um mirante em Maceió e vemos que deu muito certo, este espaço merecia uma transformação. Estamos buscando revitalizar alguns mirantes da capital e nada melhor que uma parceria para realizar uma intervenção urbana como esta, onde o maceioense poderá vir aqui e desfrutar de uma bela paisagem e

de arte, agora, temos que cuidar desse belíssimo espaço que irá receber turistas e servir para a realização de eventos culturais “, pontuou o gestor.

A arquiteta, designer e artista plástica Ana Maia explicou como surgiu a ideia de adoção do mirante. “A ideia surgiu há dois anos quando decidi montar o atelier aqui no bairro, mas vi que a área estava abandonada. A partir daí tomei a decisão que não adianta ficar trancada dentro do escritório e não interagir com o bairro, principalmente aqui, onde temos um belíssimo visual. Abracei a causa, me informei, procurei quem poderia me guiar nessa jornada e fui atrás. Após algumas conversas co

m a Prefeitura, construímos o projeto de adoção da área que foi acolhido pela Semds e por nós realizado. Fico muito feliz em ver que um local que estava ‘morto’, agora, chama a atenção de todos que passam pela região e em ver também que os vizinhos estão contente com a revitalização do mirante“, disse Ana Maia.

O mirante também recebeu ações da Superintendência Municipal de Energia e Iluminação Pública (Sima), é o que explica o diretor técnico do órgão, Luis Casado. “Implantamos sete luminárias em LED, três postes de metal, 45 metros de mangueiras iluminadas e dois projetores neste espaço que foi revitalizado. Foram instaladas também mais oito luminárias um pouco mais à frente, na segunda parte do mirante, e ainda este ano a rua receberá LED em toda a sua extensão”.

Para a secretária adjunta de Turismo, Luciana Sagi, o destino Maceió tende a crescer ainda mais com espaços iguais ao mirante. “O nosso objetivo é apoiar a divulgação desse espaço para a visitação do local, tanto para a observação da cidade como para ponto turístico, além de divulgar a nossa arte e artistas alagoanos. É um mirante diferente de todos os outros, com um espaço lúdico, com uma bela intervenção urbana, tudo isso chama a atenção

 

do turista pelo simples fato de fugir do comum, agregando valor ao local e a cidade”.

Prefeitura de Maceió

Fonte: Prefeito entrega revitalização do Mirante Santa Terezinha – Prefeitura de Maceió 

Crédito imobiliário para casas

A procura do seu imóvel torna-se tão importante quanto a modalidade de crédito imobiliário que você irá escolher para a compra da sua casa. Muitas são as oportunidades, que variam de acordo com a renda, objetivo do imóvel e o seu rendimento mensal. 

Tipos de credito imobiliário

Algumas  opções são:

Compra de material de construção

Compra do terreno

Valor total do imóvel

Imóvel novo

Imóvel usado

Valor a ser financiado

Valor e tipo de renda que você possui
Financiamento de compra sem uso do FGTS
Financiamento parcial da compra com uso de FGTS
Financiamento de 100% da compra com uso do FGTS
Construção de casa ou comercio
 

Pesquisar bem de acordo com o orçamento para o projeto da casa

Os bancos oferecem inúmeras facilidades e modalidades de crédito imobiliário para residências ou comércio e estao se atualizando muito rapidamente. É preciso pesquisar muito bem antes para encontrar o melhor negocio que se encaixa com o seus objetivos e com o seu bolso.